sábado, 19 de agosto de 2017

A MÚSICA MAIS TOCADA NO DIA DO SEU NASCIMENTO

Para aliviar a alma no sábado de chuva e descansar um pouco da correria de nossos dias tão estressantes, uma indicação interessante, sugerida pelo amigo e professor do colegiado de ciências econômicas João Carlos Leonello.
É só acessar http://playback.fm/canção-aniversario. (Data do seu nascimento para indicar a música mais tocada na época). Muito legal.
Viajei pelo tempo e descobri que em 03/11/41 quando meu pai nasceu a música era "Piano concerto in b flat" de freddy martin and his orchestra. É linda e eu já tinha ouvido em algum lugar.
Descobri que em 05/07/45 quando minha mãe nasceu a música era "sentimental journey" de les brow and his orchestra. Linda. e também ouvi em algum lugar.
Descobri que no dia em que nasci 22/02/68 (ano muito badalado na história) a música era "Love is blue" de Paul Mauriat e penso que todos vocês já ouviram, é belíssima.
Finalmente quis saber sobre 06/03/98 quando nasceu meu filho amado Giordano Bruno e surgiu "My heart go on" de Celine Dion e com certeza absoluta todos vocês conhecem e é muito linda. Eu ouvi assistindo um certo filme no cinema em Curitiba.
Façam a experiência também. Vão gostar.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

O JUIZ IMPEDE LULA DE RECEBER O PRÊMIO E O TIRO SAIU PELA CULATRA

Vejam como são as coisas, ex-presidente Lula já recebeu várias honrarias depois que deixou a presidência. Título Honoris Causa recebeu vários de diversas universidades pelo mundo e no Brasil. 

Iria receber mais um de uma universidade federal na Bahia, foi impedido porque um "vereadô" do DEM (que não sabe o que é povo) entrou na justiça contra a premiação e um juiz ferindo a autonomia universitária da universidade, aceitou o pedido baseado em puro preconceito.

Pois bem, como diria o grande Ariano Suassuna o Lula embora não pudesse, por enquanto, receber o prêmio deu uma chegadinha por lá e não e até que apareceram algumas pessoas para recebê-lo. Vou publicar uma matéria com o vídeo da meia dúzia de pessoas que apareceram. CLIQUE AQUI para ler e assistir.

MONOGRAFIA DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UNESPAR CAMPUS CAMPO MOURÃO É PREMIADA

Notícia importante. Mantendo a tradição dos últimos anos, mais uma monografia do curso de ciências econômicas foi premiada no Corecon - Conselho regional de economia.

Na categoria monografia economia paranaense foi premiada em segundo lugar o trabalho da graduada Karine de Souza Brandalize Fantini - "Dinâmica socioeconômica do município de Luiziana no período 2010-2015: Estudo de caso de município de pequeno porte".  Orientada pelo professor doutor Paulo Roberto Santana Borges. Na referida categoria a Unioeste ficou com o primeiro lugar e a Uem com o terceiro. CLIQUE AQUI para ver resultado gera.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O TAMANHO DO ESTRAGO PÓS GOLPE

Sem paixão todos deveriam ler o artigo da jornalista Tereza Cruvinel e ver o tamanho do estrago pós-golpe. Acabou a euforia (nos livramos do PT), (Derrubamos aquela vaca), (a corrupção acabou).

Na condição de professor de ciências econômicas lamento informar, mas quando a economia de um país desaba, tudo vai para o brejo. E o artigo da jornalista escancara o estrago. É o preço de se brincar com a democracia e ter que aturar o pior congresso da história do Brasil e um presidente da república que está vegetando no governo e que só pode sair às ruas escoltado pela polícia. E o pior de tudo é que os mais fracos vão pagar a conta novamente  CLIQUE AQUI para ler.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

ROSALINA LIMA IZEPÃO - O PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL NO PARANÁ



Sou professor universitário e por dever de ofício,  passo boa parte do meu tempo lendo. Leio de tudo um pouco, livros, artigos científicos, sites de economia e política, blogs e de vez em quando para não ficar fora do mundo e de minha região, ainda leio notícias em geral, embora meu computador quase fique manchado de sangue, tamanho é o interesse dos meios de comunicação em publicar desgraças. Para espairecer a cabeça, assisto filmes, de preferência baseados em fatos reais e filmes de época, mas mesmo assim, ao assistir os filmes, o olhar de professor de economia está presente.

Além de professor, em que leciono, oriento monografias e iniciação científica, escrevo artigos, participo de reuniões de colegiado, desenvolvo e /ou participo de projetos que me requerem saídas da cidade (nesse ano, fui duas vezes à Campo Grande-Ms e Paranavaí várias vezes por causa de um em específico), no momento ainda exerço um cargo na reitoria da Unespar em que tenho de cumprir horário para tal.

Compro e ganho vários livros e vou começando a ler, de acordo com o assunto e o tipo do mesmo. Alguns são mais fáceis de ler, outros extremamente técnicos, mas todos com sua importância.

Escrevi todo o “floreio” inicial, para explicar que em 26 de outubro de 2015, por meio da professora atualmente da UEM, doutoranda Rozenilda Luz Oliveira Matos,  (mãe do meu filho Giordano Bruno), tive o prazer de receber a obra intitulada “O planejamento governamental no Paraná – Economia, Estado e Política Econômica”, escrita pela professora doutora e na época chefe de departamento de economia da UEM Rosalina Lima Izepão e que somente hoje consegui terminar de ler.

A obra é oriunda da tese de doutorado dela, em história econômica da USP  e prefaciado pelo orientador professor doutor José Eduardo Marques Mouro.

A obra é muito densa e ótima. É dividida em 4 partes, sendo a primeira, “O planejamento governamental”, a segunda, “A criação e a institucionalização do sistema estadual de planejamento no Paraná (1947-1975)", a terceira, “A prática sistemática do planejamento governamental no Paraná (1975-1995)", e finalmente a quarta, “Políticas neoliberais e a reinterpretação do planejamento paranaense (1995-2003)".

Ela trata dos 30 anos da institucionalização do Sistema Estadual de Planejamento do Paraná que nasceu em 1973.

No primeiro capítulo trata de autores internacionais, nacionais e paranaenses sobre o tema.

No segundo capítulo, primeira parte, discute-se a conjuntura política e econômica paranaense e os primeiros pronunciamentos sobre planejamento governamental, dos governadores de 1947 a 1955 e na segunda parte, já as tentativas de institucionalização do planejamento. Trata dos grupos políticos e econômicos da época liderados por Moisés Lupion (madeireiro) e Bento Munhoz da Rocha Netto (ervateiro) que em campos opostos, dominaram a política paranaense, alternando-se de 1947  a 1960. Depois surgem, Ney Braga,  Paulo Cruz Pimentel, Haroldo Leon Peres, Pedro Viriato Parigot de Souza, João Mansur, Emílio Hoffmann Gomes, Jaime Canet Júnior e novamente Ney Braga   e na terceira parte, reflexão sobre os planejamentos adotados.

No terceiro capítulo, discute a prática sistemática de elaboração de planos quadrianuais, e políticas governamentais de 1975 a  1985 e as diferentes faces de planejamento  e políticas governamentais até 1995, com José Richa,  Álvaro Dias e Roberto Requião.

No quarto capítulo o cunho neoliberal das duas gestões de Jaime Lerner (os outros dois governos do Roberto Requião não foram analisados por estarem ainda em andamento na época da tese).

A obra é importantíssima para qualquer idade. Para os mais jovens  que não conheceram nenhum dos personagens citados é uma excelente oportunidade. Para aqueles que estão na terceira idade, com certeza são testemunhas oculares de história e conhecem todos.

Para aqueles próximos dos 50 anos que é o meu caso, de José Richa até o Jaime Lerner é como se aliasse um filme que já viu com novos conhecimentos técnicos sobre o planejamento e os planos de governo deles. Eu lembro até das campanhas eleitorais de todos eles e da angústia que passei no governo Lerner enquanto servidor público, embora, segundo a autora, em termos de planejamento este inovou e resgatou o que era feito comparativamente na época da década de 1970.

A autora não negligencia nada. Apresenta o que foi de bom e ruim de todos os governos.

Eu particularmente além do aprendizado, fiquei feliz de ver o personagem Belmiro Valverde que foi meu professor na UFPR na época de um outro mestrado que iniciei e também por ver, na parte do final do governo Lerner a criação da nossa querida Unespar,  que por incrível que pareça só saiu do papel no governo Beto Richa.

Penso que a autora Rosalina Lima Izepão merece todos os parabéns pela obra e acredito que todos os prefeitos e prefeitas dos 399 municípios do Estado deveriam ler. Também aqueles que desejam voltar às prefeituras e todos os demais participantes das gestões públicas de qualquer esfera, para entenderem a importância de um planejamento e as dificuldades em cumpri-lo.

domingo, 13 de agosto de 2017

13 DE AGOSTO DE 2017 - TRÊS COMEMORAÇÕES

Hoje é um dia muito especial para mim.
Mais um dia dos pais em que almoço com meu pai Julio e meu filho Giordano Bruno.
Estou comemorando 23 anos de minha formatura em ciências econômicas pela antiga Fecilcam, hoje Unespar campus de Campo Mourão.
E por coincidência hoje é o dia dos economistas.
Não poderia estar mais feliz.
Excepcionalmente minha mãe dona Inês também veio lá de Roncador-Pr para almoçar conosco.
Minha família é maravilhosa.

sábado, 12 de agosto de 2017

2º CONCERTO DA ORQUESTRA FILARMÔNICA ANTÍFONA - CAMPO MOURÃO-PR





No sábado passado, 05 de agosto de 2017 eu tive uma noite maravilhosa aqui em Campo Mourão-Pr.

Assisti o 2º Concerto da Orquestra Filarmônica Antífona capitaneado do competente, entusiasmado e apaixonado maestro Jazon Mormello no Teatro Municipal de Campo Mourão-Pr.

Ficamos juntos na mesma fileira Eu, Leda Mariza Teixeira, Cláudia Pansera, a professora Cibeli Introvini, o seu filho Daniel e o seu pai Manoel Introvini. Depois no final, encontramos ainda os professores Amauri Ceolim, Alessandra Pereira da Silva, Rosefran Gonçales Cibotto e a acadêmica de pedagogia  Yohana Graziely.

Foi um espetáculo simplesmente emocionante. Eu já enchi os olhos de lágrimas de cara, com a primeira música "Por una cabeza" de autoria do Carlos Gardel criada em 1935 e que ficou muito conhecida e apreciada no filme "Perfume de mulher" com a interpretação do grande Al Pacino.

Depois foram várias músicas, algumas grandes clássicos internacionais e também algumas composições da própria orquestra, o que deixa nós mourãoenses muito emocionados e felizes.

A orquestra criada há menos de dois anos a partir de uma escola de música parece ser uma grande família . Parte dela é mesmo de sangue pois tem o maestro, esposa, irmã e salvo engano um filho. Mas o restante do grupo, desde o nosso conhecido da Unespar, Leonardo Zaramella (que já tive o prazer de ouvi-lo em outros estilos) até os menores e os ainda bem pequenos. Emocionante vê-los.

Eu fiquei apreciando cada música e cada um dos/as instrumentistas e a concentração era impecável. O sorriso só vinha com os aplausos. E olha que fiquei sabendo que quase todos eles também tocam ou cantam outros estilos, inclusive alguns deles rock.

Um dos momentos que mais me impressionou foi ver a pequena violinista Ísis Silva Lopes, filha da querida professora da UTFPR Karla Silva, ficar quase petrificada, sem piscar, observando o solista de violino tocar uma música inteira. Soube depois que o grande sonho dela é tornar-se solista um dia e com aquele interesse e concentração acredito que um dia veremos aquela pequena artista brilhar mais do que já brilhou no último sábado.
   





 

   

terça-feira, 8 de agosto de 2017

AS DÍVIDAS DAS GRANDES EMPRESAS

Enquanto o governo federal, em cumplicidade com sua base de apoio, pratica desumanidades tirando direitos, tentando acabar com a aposentadoria, anistiando parte de dívidas dos ruralistas para poder salvar a pele e ainda recentemente, aumentando o preço dos combustíveis, que é um tiro de misericórdia na própria economia, grandes empresas seguem devendo. CLIQUE AQUI para ler.

POSSE DO CONSELHO DE CULTURA DE CAMPO MOURÃO-PR

Posse do Conselho de Cultura de Campo Mourão-Pr. Veja matéria feita pelo site tasabendo. CLIQUE AQUI para ler.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

A INCONSEQUÊNCIA, O DESASTRE E A REVOLTA SELETIVA

A ampla maioria dos deputados federais por interesses sabe-se lá quais, de forma inconsequente e mesquinha, tirou do poder uma presidenta honesta (se fosse homem talvez não teria caído). 

Boa parte deles fizeram homenagens mil naquele dia lastimável, teve de tudo, foi uma nojeira.

Há com certeza umas duas ou três dezenas de deputados honestos entre os que votaram a favor, parte de tal grupo, movidos pela pressão da mídia ou dos movimentos contra a corrupção (de uns, porque de outros tudo bem).

Excluindo as duas ou três dezenas de deputados honestos daquele grupo.  No  restante, tem de tudo e muitos deles são mais sujos do que pau de galinheiro. Parte deles inclusive, foram delatados e descobertos em suas falcatruas logo depois.

O comandante daquela ampla maioria, o todo poderoso  Eduardo Cunha que está atualmente residindo no xilindró, outro dia contou como parte dos deputados foram adquiridos para votarem a favor daquele absurdo.

A prova cabal de que a Dilma não cometeu crime algum é que, além dos ex-presidentes anteriores e a ampla maioria dos governadores atuais terem praticado a simples manobra contábil, foi que logo depois , a própria câmara dos deputados  autorizou a mesma manobra contábil, para o ser desprezível que está no desmando do país hoje. Os senadores constrangidos, sabendo que aplicaram o golpe numa mulher inocente, por compensação, não retiraram os direitos políticos da dela.

Ela está muito bem. Viajando o Brasil e o mundo denunciando o golpe, é bem recebida em todos os lugares e se desejar pode até se candidatar para senadora ou outro cargo nas próximas eleições. 

Já o Brasil está no abismo econômico e social. O golpe produziu milhões de desempregados.
Não é preciso ser economista para ver o estrago ocasionado na economia. Recebi informação outro dia de que nas lojas de materiais de construção as vendas caíram 50%. Nos restaurantes e lanchonetes também é possível ver que a situação está ruim, enfim no comércio em geral. Ontem num cartaz de uma loja de móveis usados (que tem coisas de no mínimo 100 reais) "todo o estoque em até seis vezes no cartão". Com os industriais e os prestadores de serviços com certeza a situação não está nada boa. 

Ainda no enfoque do desemprego, a quantidade de professores sendo demitidos das faculdades particulares é preocupante. Até outro dia havia aquele discurso doentio de um governo bolivariano e outras bobagens mais. Governo que gasta demais etc e etc, mas foi só o golpe ser instalado e colocarem um Ministro da Educação sem nenhuma relação com a área e já cortaram quase todos os programas e diminuíram as verbas para o FIES. O último  se constituía em grande parte da sustentação das faculdades particulares.

Acabaram com o programa Minha Casa minha Vida que além de ser fundamental para as famílias de baixa renda, ainda movimentava o ramo da construção civil que é um dos setores que mais emprega no país.

Um dos absurdos de tudo isso é que juntamente com o líder supremo dos deputados pró-golpe Eduardo Cunha, outro contribuinte do golpe, desde o momento do resultado das eleições o derrotado Aécio Neves, está atolado em denúncias e continua livre como um passarinho e hoje praticamente a mesma quantidade de deputados golpistas (um ou outro arrependido talvez não) vão absolver das denúncias o Michel Temer, apesar das escandalosas e comprovadas denúncias, tudo em troca de cargos e liberação de verbas em pleno desajuste fiscal.  

E finalmente o maior de todos os absurdos. Onde estarão os manifestantes verde amarelos , seguidores do Pato amarelo plagiado da FIESP? Será que para eles e elas a corrupção foi extinta e o paraíso foi instalado? Ou estão  escondidos/as envergonhados/as?

Quem tiver notícia de alguns deles ou delas me avisem por favor.